10 Alimentos que ativam as hormonas da Felicidade!

0
738
Dra. Michele Miranda de Almeida
Consultora Nutricional

Hormonas da Felicidade! O que comer para ativá-las?

Qual a fórmula da felicidade?
Independente de amor ou dinheiro, a ciência sugere que ela está mais perto e mais fácil do que percebemos, segundo endocrinologistas e neurocientistas.

A sensação de prazer momentânea ao saborear um chocolate, quem nunca sentiu?
Não é “mito” dizer que a alimentação pode influenciar diretamente o nosso humor. E mais: muitas vezes, o bem-estar proporcionado pelos alimentos não resultam apenas do sabor que agrada ao paladar. O esclarecimento para isso é muito mais científico do que parece. No entanto, estas substâncias necessitam muitas vezes de estímulos externos.

Existem alimentos que possuem nutrientes capazes de aumentar a produção de “quatro neurotransmissores: dopamina, serotonina, endorfina e oxitocina”.

O que são os neurotransmissores?

São substâncias químicas produzidas pelos neurónios que auxiliam o cérebro na realização de suas funções, transmitem os impulsos nervosos e causam as sensações de prazer e bem-estar.
Existem dezenas de neurotransmissores que agem nas diversas áreas do nosso cérebro, entretanto, os citados acima são bem famosos e conhecidos popularmente como o “quarteto da felicidade”.

Dopamina
A dopamina é o neurotransmissor principal na regulação dos processos motivacionais. E é isso que nos faz agir para alcançar nossos objectivos, também responsável por sentimentos como amor e luxúria e é descrita como a “mediadora do prazer”. Esta substância química é accionada quando se dá o primeiro passo rumo a um objetivo e do mesmo modo quando a meta é cumprida. Além disto, pode ser produzida por um simples acontecimento da vida quotidiana – como por exemplo encontrar um lugar livre para estacionar o carro, ou por algo mais excecional – como receber uma promoção no trabalho e celebrar pequenas conquistas.

Serotonina
Este neurotransmissor é conhecido por ser responsável na promoção da sensação de prazer e bem-estar. A ausência de serotonina no cérebro pode produzir desconfortos e até mesmo a depressão. Por isso, vários antidepressivos auxiliam na captação de serotonina. O método mais simples para elevar o nível de serotonina é recordar momentos felizes, ter memórias especiais, apanhar sol, receber massagens e praticar exercícios aeróbicos – como corrida e ciclismo, são algumas formas de aumentar a serotonina.

Endorfina
Liberada no organismo diante das situações de dificuldades, dor e stress, com o propósito de atenuá-los. A endorfina é considerada a morfina do corpo, uma espécie de analgésico natural.

“De acordo com uma pesquisa da Universidade de Oxford, no Reino Unido, filmes tristes também ajudam a elevar os níveis das endorfinas, assim como dançar, cantar e realizar atividades em equipa”.

Oxitocina
Conhecida por ser responsável na promoção da sensação de confiança, favorecendo a criação de laços nos relacionamentos de modo geral, muitas vezes apelidada de “hormona dos vínculos emocionais” e “hormona do abraço”. “Actualmente, a neurociência comprovou que quando reunidas em grupo de amizade, as mulheres produzem uma quantidade maior de oxitocina, neurotransmissor que é ainda produzido no parto, na amamentação (relação mãe e bebé) e no orgasmo (relacionamento afectivo sexual)”. Também é uma forma simples de se conseguir um aumento da oxitocina através do abraço, como dar ou receber um presente é um outro exemplo.

A ausência dos neurotransmissores causa diversas alterações em nosso cérebro, desde pequenas mudanças comportamentais até quadros clínicos mais graves, como a depressão. Essa é uma doença que está relacionada a baixos níveis de produção ou de captação da serotonina. Uma opressão da dopamina leva à desmotivação e à tendência a adiar tarefas e compromissos, o que podemos chamar de procrastinação. Indivíduos que possuem hábitos alimentares saudáveis sofrem menos com problemas como stress, depressão e ansiedade. Alguns alimentos são fundamentais para esse bem-estar que a comida pode proporcionar.

10 Alimentos que ativam os neurotransmissores

Chocolate: como é sabido, o chocolate tem o poder de proporcionar sensação de prazer. Isso acontece porque a versão amarga (que possui pelo menos 70% de cacau na composição) é fonte de triptofano e ainda possui teobromina, um alcalóide da família da cafeína que tem efeito estimulante. O magnésio ainda é eficiente para reduzir os indesejados sintomas da TPM. Após comer, vai sentir-se feliz, mas, logo depois ficará com vontade de comer mais para manter a sensação de prazer. É importante ter “cautela” no consumo, pois é um “alimento calórico”.

Proteínas: alimentos como carnes, ovos, leites e seus derivados, possuem grandes quantidades de triptofano, um aminoácido que age na formação da serotonina.

Aveia: fonte de triptofano, a aveia também contém selénio em sua composição, um mineral que contribui para a produção de energia. Os carboidratos também presentes nos alimentos elevam os níveis de insulina e facilitam a absorção de triptofano. Por este motivo, dietas que suprimem carboidratos costumam influenciar negativamente o humor da pessoa.

Oleaginosas: alimentos como nozes, castanhas e amêndoas são fontes dos minerais magnésio, cobre e selénio, que restringem o stress e refazem a memória.

Banana: fonte de carboidratos que estimulam a produção de serotonina, ela também contém vitamina B6, importante na condução dos impulsos nervosos e na prevenção da ansiedade e irritação. Aliada para a sua felicidade.

Vegetais com folhas escuras: o espinafre é um vegetal fonte de potássio e ácido fólico, intervêm nos quadros de depressão, esquizofrenia e no combate a doenças degenerativas. A ausência desses elementos causa cansaço, insónia, fraqueza e apatia. Outras hortícolas fontes de ácido fólico são: couve, os brócolos e a rúcula.

Peixes e frutos do mar: os peixes salmão e sardinha são fontes ricas de ómega 3, um ácido graxo que aumenta a produção dos receptores de neurotransmissores. O selénio e a vitamina B12 ainda suprimem a ansiedade e o cansaço.

Pimenta: princípio ativo da pimenta (capsaicina que provoca a ardência) estimula o cérebro a produzir mais endorfina, hormona responsável pela sensação de euforia e diminuição do stress.

Laranja: fruta rica em vitamina C e cálcio, boa opção para o bem-estar porque a vitamina reduz a quantidade de hormonas do stress no sangue e reduz fatores que indicam o stress físico e emocional.

Mel: mais de 90% da serotonina é produzida no intestino e o mel é um importante regenerador da microflora intestinal. O adoçante natural ainda é fonte de triptofano. No entanto, o mel é bastante calórico, desta forma, deve ser consumido em pequenas quantidades e “deve ser evitado em casos de diabetes”.

Manter uma alimentação saudável é essencial para o bem-estar, mas não somente, atitudes como atividades físicas regulares, ter momentos de prazer e relaxamento, dormir em média 8 (oito) horas, rir com os amigos, praticar hobbies, cantar, dançar, demonstrar afecto, realizar boas ações, ter gratidão, são atitudes que levam a ter uma boa qualidade de vida e auxiliam na produção e a manter bons níveis de transmissores.

Data da última revisão: 01 de Julho de 2020
Fontes consultadas:

Website oficial do Hospital Sírio Libanês
Website oficial do Hospital Israelita Albert Einstein
https://www.theguardian.com/science/2016/sep/21/watching-a-sad-films-boosts-endorphin-levels-in-your-brain-psychologists-say

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here