Amor Próprio – O segredo para uma vida plena

0
364

Adelaide Miranda
(Life Coach de Alta Performance)
Lembras-te quando te pedi que te despisses de armaduras? Falei-te sobre importância de nos mostrarmos aos outros como somos. Hoje, quero falar-te do sentimento que devia mover o mundo: o Amor! Para mim, o amor é a solução para tudo. Quando existe amor não há lugar para ódio… E amor é o que precisamos de cultivar primeiro dentro de nós para que possamos partilhar com o mundo. Contudo, a meu ver, o amor tem sido banalizado… Porquê? Porque para amar é preciso coragem.

Amar é o sentimento mais forte do mundo, porque exige que estejas na tua forma mais pura. Exige que não só te libertes das tuas armaduras, mas também que te permitas amar. Ou seja, o amor não acontece por acaso, como se diz por aí, o amor é uma escolha. E, infelizmente, a maioria de nós escolhe não amar. Inconscientemente fazemos essa escolha todos os dias…

A questão é: se é a melhor coisa do mundo por que motivo escolhemos todos os dias não amar?

A resposta é simples: amor requer que comeces por ti, e esse é o amor que mais custa. Porquê? Porque requer que te olhes ao espelho, bem dentro da tua alma, observes os teus cantos mais profundos e os aceites. Ninguém gosta de assumir que em algumas situações é egoísta, ou mentiroso, ou desonesto, ou maldoso, ou irresponsável… E, a lista podia continuar. A realidade é que nós todos temos uma face da qual não nos orgulhamos, e temos dificuldade em assumi-la e aceitá-la. Contudo, como digo: é importante, essencial e obrigatório amares todas as facetas que te completam.

Para que a nossa vida seja completa devemos abraçar o amor próprio e, depois, amar os outros da mesma forma. Vamos passar a dicas práticas que te poderão ajudar a melhorar o teu amor próprio:

Dica Número 1 – Conhece-te a ti mesmo
Vira o disco e toca o mesmo… Passo a vida a mencionar como é importante que te conheças. O que gostas e desgostas? As tuas qualidades? Os teus defeitos? O que chateia? O que te apaixona? Tira um tempo para te conheceres melhor. Escolhe conhecer-te para que possas entender porque fazes o que fazes, aceder mais vezes ao teu inconsciente e perceber quão especial és. Aceita-te tal como és e ama cada pedacinho de ti.

Dica Número 2 – Estabelece os teus limites e cumpre-os!
Para que te ames tens de aprender a respeitar-te. Para que te respeites deves estabelecer as tuas regras, os teus limites, as tuas leis… E, obedecer! É importante respeitarmos a nossa filosofia de vida.

Dica Número 3 – Deixa de Comparações
Cada um de nós é como é, e cada um de nós é diferente. Aceita-te exatamente como tu és e deixa de comparar-te com os outros. Cada um de nós é fruto da sua vivência, da sua genética, do seu ambiente… E, como tal, cada um de nós é único. Não há ninguém que seja igual a ti, por isso deixa-te de comparações.

Espero que estas dicas te ajudem no caminho da aceitação de quem tu és. Este amor próprio é a solução para a tua vida plena em que amas, aceitas e respeitas tudo o que te faz de ti quem tu és. E, para que te ames, tens também de cuidar de ti. Portanto já sabes: máscaras, álcool gel e distâncias de segurança. O amor próprio começa por respeitares a tua vida. Cuida de ti e dos outros.(X)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here