Comportamento – Deixar Ir

0
266

Adelaide Miranda (Life Coach de Alta Performance)
Tenho pensado muito nas mensagens que continuo a receber, vezes e vezes sem conta sobre deixar ir o passado. Deixar as situações que trazem emoções negativas ficarem para trás, lá onde pertencem.

Sei que também tu tens alguma coisa para deixar ir. Assim, hoje falarei para mim, para o meu coração, na esperança de que este meu processo também vos possa ajudar.

Sinto que já tanta coisa ficou para trás, mas… Mas o que ainda não ficou tem de ir. O que não foi é com certeza aquilo que carrego nas profundezas do meu inconsciente e que tenho pavor de trazer ao de cima. Tenho pavor de que venha que nem um turbilhão e traga novamente uma vaga de mudança para a minha vida.
A questão é? Será que estou preparada para mais uma mudança? Será que estou preparada para mergulhar nessa questão? Será que estou preparada para aceitar essa mensagem e fazer o que tiver de ser feito?
A resposta óbvia é que não. Não estou preparada, mas também sinto que nunca vou estar. Ninguém sente que está preparado nestas situações.

Enquanto escrevo estas palavras, vou perguntando ao meu coração o que é que ainda há para deixar ir. O que ainda há para deixar ir? Coração, o que ainda há para deixar ir?

O coração respondeu-me agora: o convencionalismo. As minhas ideias preconcebidas do que tem de ser. A ideia preconcebida de como é um relacionamento, uma relação profissional, um negócio… A ideia preconcebida de que existem papéis, tarefas, atitudes que são esperadas em determinados momentos.

Continuo a achar que há coisas que não se perguntam, que são óbvias. A questão é que o que é óbvio para mim não é com certeza óbvio para os outros. Então, o que custa perguntar? Pedir? Solicitar? Continuo presa ao meu orgulho, em certas situações, e não dizer o que tenho a dizer. Ou, pior, quando o digo sai sempre com o julgamento de como deveria ser e não considerando aquilo que eu mesma já sei: cada um faz o melhor com aquilo que tem. Então, se sei disto por que motivo ainda me incomodo com certas situações?
Wow! As expectativas. As expectativas do que é do que deve ser e… Pior, o que os outros vão pensar!!!

Wow! Que nem um balde de água fria, percebo que continuo a preocupar-me, em determinadas situações, com o que os outros vão pensar. Continuo a não escolher-me a mim sempre. E espero que os outros façam a escolha por mim! Wow!

Realmente, é normal que a mensagem se repita. Esta consciência faz parte dos meus paradigmas. Xiii… Respira, Adelaide… Respira.. PRADA contigo.

Para!
Respira!
Analisa! – O que isto quer dizer? Qual a aprendizagem por trás? Aceitar os outros é aceitá-los exatamente como são e não apenas quando cabem na caixinha das minhas expectativas. O que podes fazer para aceitar os outros? PRADA! Respirar. Perguntar-me efetivamente porque é que a situação me incomoda tanto. Perceber se vem de uma ideia preconcebida ou estou a considerar o contexto. Dizer o que estou a sentir. Pedir ajuda se for preciso.

Age! Yes. É isso. PRADA comigo. O que posso fazer para interiorizar esta mensagem? Uma pulseira com PRADA escrito. Para que eu nunca me esqueça que em qualquer situação eu tenho de PRADA comigo. Colocar um post-it no telemóvel com PRADA. PRADA.

Uffff! Devo dizer-te que sinto-me mais leve. Quando comecei a escrever este artigo não sabia onde ia parar, e aqui está o processo que estava a precisar de fazer. E, nada melhor do que partilhar convosco as minhas limitações, os meus medos, as minhas dúvidas. Como digo estamos todos no mesmo caminho e juntos somos mais forte.

Enquanto escrevia, adotei técnicas que uso nas minhas sessões de coaching. Efetivamente o que fiz foi uma sessão de autocoaching. Uma sessão feita de coração aberto e com o compromisso de que é para fazer o que tem de ser feito.
Como sabes, já há algum tempo decidi ser Eu. Sem máscaras, simplesmente SER. Nesta minha caminhada de viver a MINHA vida, tenho aprendido muitas técnicas, tenho permitido a energia fluir, tenho deixado a intuição falar, e o meu propósito é atrair pessoas que também sentem a necessidade de SER, e apenas não sabem por onde começar. Para SER é preciso muita coragem. Não vale a pena esperarem para estar preparados porque isso nunca acontece. Nunca se sentirão preparados. Avancem mesmo com medo. Juntem-se a mim nesta caminhada do resgate do nosso verdadeiro EU.

Vou respirar fundo e encomendar uma pulseira que diga PRADA. Tem uma excelente semana, e lembra-te que é importante, essencial e obrigatório PRADA contigo!

Se ainda não segues as minhas páginas no instagram: @scholavitae.pt @adelaide_paivamiranda, convido-te a fazeres parte desta comunidade de seres que apenas querem SER. (X)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here