Covid-19: Quero Doar alimentos! Quais cuidados?

0
562

Dra. Michele Miranda de Almeida
Consultora Nutricional
Na atual circunstância, neste momento de pandemia e crise económica, o “gesto de solidariedade” é um tema cada vez mais presente mundialmente, portanto, são fundamentais alguns cuidados e maior atenção para garantia da segurança dos alimentos doados, já que a finalidade é ajudar ao próximo.

Com o propósito de auxiliar as pessoas na prática deste gesto nobre, abaixo alguns cuidados a serem seguidos:

Higienização do ambiente em duas etapas:  
1-Limpeza: remover sujeiras, para isto usa-se água e sabão;
2- Desinfeção: Desinfeção é diminuir o número de microrganismos no local – 50mL de água sanitária (2 a 2,5% concentração) para cada 5 litros de água ou solução álcool 70%.

Pessoa responsável pelo manuseio dos alimentos:

1-Lavar as mãos sempre – antes de iniciar o trabalho, após utilizar os sanitários, após pegar em dinheiro, após tossir, espirrar, assoar o nariz ou se coçar, após comer ou fumar, após passar muito tempo em uma mesma atividade (preferencialmente a cada hora), todas as vezes que interromper um serviço, “não esquecer de adotar as medidas de etiqueta respiratória”.

2-Quando do recebimento da doação – recebimento, armazenamento e montagem das cestas de alimentos, deverão ser realizadas em local arejado.

3-Local da manipulação dos alimentos – realização do processo de higienização antes do inicio das atividades.
4-Desinfeção de superfícies externas dos sacos e embalagens – álcool a 70%, solução clorada [0.5% a 1%], ou outros saneantes desinfetantes regularizados por órgãos competentes.

5-Assegurar que todos os produtos armazenados se encontram identificados, com nome, data de receção e data de validade.

6-Alimentos não perecíveis deverão ser armazenados em lugares frescos, secos, livres de odores e que impeçam a ação direta da luz sobre os géneros alimentícios.

7-Os géneros alimentícios perecíveis, deverão ser armazenados em refrigeração ou congelamento (a depender de sua especificidade), de maneira a assegurar o correto acondicionamento.

8-Na entrega – a pessoa responsável deverá utilizar máscara cirúrgica e touca descartável (que deverão ser descartadas a cada retorno das viagens). Se possível usar capote descartável.

9-Local pelo qual os alimentos serão transportados (ex: porta malas da viatura), deverão ser higienizados com detergente neutro e álcool 70% ou com solução clorada.

10-No momento da entrega se afaste um metro ou mais do destinatário – importante que não ocorra aperto de mãos ou contato físico – “Cuidados redobrados nas entregas aos idosos”.

11-Entregadores – higienização das mãos antes de pegar nas embalagens que serão entregues – álcool 70% (líquido ou em gel).

12-Não são recomendadas as práticas de utilização de caixas de madeira ou papelão.

“Estudo publicado na revista médica The Lancet recomenda um distanciamento social de dois metros”.


Segundo, “Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE)”, com o objetivo de assistir as entidades que atuam no círculo de doação de géneros alimentícios, apresentou uma lista de regras básicas, nas quais contêm, tanto regras de higiene do pessoal como das instalações:

O transporte dos géneros alimentícios deve ser realizado com os devidos cuidados de higiene, respeitando as temperaturas adequadas aos produtos, de modo a evitar a contaminação e alteração dos mesmos;

Os veículos de transporte dos géneros alimentícios devem ser mantidos em bom estado de conservação e devem ser limpos e desinfetados com a regularidade adequada à utilização;

Os alimentos não perecíveis devem ser armazenados em lugares frescos, secos, livres de odores e que impeçam a ação direta da luz sobre os géneros alimentícios;

Os géneros alimentícios perecíveis, que necessitam de frio para a sua conservação, devem ser armazenados em câmaras de refrigeração ou de conservação de congelados, assegurando-se a cadeia de frio e uma correta estiva desses mesmos alimentos;

A rastreabilidade dos produtos deverá ser mantida, nomeadamente no que respeita à origem e à quantidade dos produtos doados, devendo a entidade recetora manter um registo atualizado das doações;

Deverá ser efetuada uma adequada gestão de stocks, de modo a que os primeiros produtos a serem armazenados sejam também os primeiros a serem doados/consumidos;

Deverá assegurar-se que todos os produtos armazenados se encontram identificados, quer seja com o nome e a data de receção, quer seja com a data de validade, no caso de se tratar de produtos rotulados;

No caso de doação direta de alimentos por parte de empresas do sector alimentar formalmente constituídas, estas deverão assegurar que em todas as fases da produção, transformação e distribuição dos géneros alimentícios sob o seu controlo satisfaçam os requisitos de higiene estabelecidos no Regulamento 852/2004, de 29 de abril, e as disposições previstas no Regulamento 853/2004, nos casos aplicáveis.

Data da última revisão: 24 de Junho de 2020
Fontes consultadas:
Website oficial da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE)
Website oficial da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD)
https://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(20)31142-9/fulltext

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here