Detido ex-Presidente do Brasil Michel Temer

0
163

Michel Temer foi detido na manhã desta quinta-feira em São Paulo no âmbito do caso Lava Jato.

michel-temer-e-preso-em-operacao-da-lava-jato

A informação é avançada pela rede Globo, que informa ainda que a Polícia Federal tentava localizar o ex-Presidente brasileiro desde quarta-feira. Temer foi levado para o Aeroporto de Congonhas e será transportado até ao Rio de Janeiro num avião da Polícia Federal.

Ao telefone com a CBN, Temer disse que o mandado de prisão preventiva “é uma barbaridade”.

As autoridades detiveram ainda Moreira Franco, ex-ministro de Minas e Energia. Os mandados foram emitidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

Michel Temer foi Presidente do Brasil entre 2016 e 2018, tendo assumido o cargo na sequência do “impeachment” de Dilma Rousseff. É o segundo Presidente na história do Brasil a ser preso numa investigação por corrupção.

Operação Lava Jato

A operação Lava Jato investiga desde 2014 uma série de escândalos de corrupção na Petrobras e em órgãos públicos do país, levando à prisão dezenas de funcionários da petrolífera estatal brasileira, empresários e também políticos de renome.

Na mesma operação de que é alvo Michel Temer, foi detido em abril de 2018 Lula da Silva. O apartamento de luxo em Guarujá, na zona litoral do estado de São Paulo, está no centro da condenação do ex-presidente brasileiro Lula da Silva. Em causa no caso Tríplex, como ficou conhecido, está o pagamento de um milhão de euros da construtora a Lula, em troca de benefícios em contratos com a Petrobras.

Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado a nove anos e meio de prisão pelos crimes de corrupção passiva e branqueamento de capitais, num dos processos da operação Lava Jato.

Fase internacional da operação

A primeira fase internacional da Lava Jato decorreu em Portugal em março de 2016, quando Raul Schmidt, sócio de um antigo diretor da Petrobras, foi detido em Lisboa. A operação da PJ, depois de longa investigação, foi acompanhada por elementos da Polícia Federal Brasileira, por um procurador brasileiro e por um procurador e um juiz portugueses.

Raul Schmidt era sócio de Jorge Zelada, antigo diretor da área de Internacional da Petrobras, e é investigado pelo alegado pagamento de luvas a responsáveis da petrolífera brasileira. Com dupla nacionalidade, brasileira e portugesa, Raul Schmidt vivia em Londres e ter-se-á mudado para Portugal após o início da operação Lava Jato.

Em maio do ano passado o Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) cancelou a ordem de extradição para o Brasil do empresário luso-brasileiro.

2.ª fase em Lisboa

Em setembro, as autoridades portuguesas realizaram buscas e apreensões em Portugal, em moradas associadas ao operador financeiro Ildeu de Miranda. A operação correspondeu à segunda fase internacional da Operação Lava Jato.

Na ocasião, “as investigações revelaram o pagamento de propina (suborno) superior a 56,5 milhões de dólares (47,2 milhões de euros) entre os anos de 2010 e 2012. Esses valores eram relacionados à obtenção fraudulenta de um contrato de mais de 825 milhões de dólares (700 milhões de euros), firmado em 2010 pela Petrobras com a Construtora Norberto Odebrecht”, esclareceu o Ministério Público brasileiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here