Educação Financeira – O Bê-á-bá

0
210

Adelaide Miranda
(Life Coach de Alta Performance)
Voltamos aos temas práticos. A semana passada abordamos a temática de relacionamentos pessoais, esta semana quero abordar um outro tipo de relacionamento: relacionamento financeiro.
Como é a tua relação com as finanças? Quando pensas em dinheiro qual a primeira coisa que te vem à cabeça? Frases como “O dinheiro não cai das árvores”, “tenho cara de banco?”, “o dinheiro é sujo”?

Infelizmente, o nosso relacionamento com o dinheiro não é dos melhores. É uma relação com atritos e repleta de toxicidade. Vivemos numa era em que a maioria de nós é escravo do dinheiro e não entende que deve ser o contrário: o dinheiro está aqui para nos servir. O dinheiro não é nada mais nada menos do que uma ferramenta de troca que nos permite satisfazer a maioria das nossas necessidades básicas e, também, os nossos desejos através da aquisição de bens, produtos ou serviços.

Portanto, a primeira coisa que devemos mudar em relação ao dinheiro é a nossa Mentalidade sobre ele. Devemos sempre pensar em abundância em vez de escassez. Devemos perceber que o dinheiro está disponível para quem sabe lidar com ele da forma que ele deve ser lidado: o dinheiro tem regras! Há que saber cumpri-las.

Tenho por norma partilhar as dicas do meu Guia Prático de Educação Financeira, mas há tempos li um artigo de Paul Scrivens, que fez todo o sentido trazer à vossa atenção. São dicas mais viradas para o orçamento e como lidar o dia a dia com o nosso dinheirinho. Então aqui vão dicas simples de aplicar que vão transformar as tuas finanças:
1.Paga-te primeiro – poupar é a dica número 1. Só poupando poderás ter capacidade de alavancar as tuas finanças;
2.Gasta menos do que ganhas – parece simples mas a maioria de nós não cumpre esta simples regra;
3.O teu eu do futuro és tu – facilita-lhe a vida. Quando tomares decisões financeiras pensa sempre em como poderás facilitar o teu eu do futuro, em vez de pensar que ele irá arranjar maneira de sair da embrulhada em que o meteste;
4.Prepara um fundo de emergência – Põe de lado o equivalente a seis meses das tuas despesas mensais;
5.Paga as tuas dívidas – faz um plano e salda as dívidas.
6.Faz um orçamento – o que entra deve ser maior do que o que sai: considera as despesas fixas e variáveis, quanto mais detalhado o orçamento melhor;
7.Traça uma meta financeira que te desafie – define qual a tua meta a longo prazo e o motivo pela qual a queres atingir. Relembra-te disso todos os dias;
8.Faz um plano de refeições – o que vais poupar em gastos com comida vai surpreender-te;
9.Nunca vás às compras sem uma lista;
10.Não te preocupes com a forma com que os outros gastam o dinheiro deles;
11.Revê as tuas finanças numa base mensal;
12.Arranja uma fonte de rendimento adicional;
13.Adota a regra dos 10 segundos – antes de comprares qualquer coisa espera 10 segundos e reflete sobre o motivo pelo qual é importante comprares o produto;
14.Adota a regra dos 30 dias – quando forem produtos caros espera 30 dias até fazeres a compra e questiona-te se ainda faz sentido;
15.Partilha as tuas metas e objetivos com o teu grupo de influência – desta forma vais ter a quem prestar contas.

Dicas práticas e que podes colocar em uso a partir de… Agora! Não tens desculpas para não assumires o controlo sobre as tuas finanças pessoais. Como tudo na vida há coisas que só podemos ser nós a fazer, essa é uma delas assim como cuidarmos de nós nesta situação de pandemia: máscaras, distâncias de segurança e lavar as mãos com frequência. (X)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here