Imigrantes britânicos passam a ter serviços exclusivos no SEF

1
342

Manuel Matola

Pelo menos 2407 britânicos registaram-se como residentes, só em novembro, junto ao SEF, que hoje lançou uma linha telefónica, um endereço e-mail e um portal (brexit.sef.pt) através dos quais os britânicos poderão exclusivamente trocar os títulos de residência, obter informação e apoio necessários sobre questões relacionadas com o processo de saída do Reino Unido da União Europeia.

A informação foi facultada ao jornal É@GORA pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteira (SEF) que iniciou hoje, juntamente com a Embaixada do Reino Unido em Lisboa, a segunda fase de uma campanha de informação conjunta que pretende esclarecer todos os nacionais britânicos a viver em Portugal sobre o novo procedimento de troca do atual documento de residência (Certificado de Registo de Cidadão da UE emitido pela Câmara Municipal ou Certificado de Residência Permanente de Cidadão da UE emitido pelo SEF) por um novo título que atesta o seu estatuto de residente no território português.

“O novo cartão será emitido a partir de 1 de Janeiro 2021, data a partir do qual os nacionais britânicos já não estarão abrangidos pelas regras da União Europeia. O novo cartão permitirá, assim, demonstrar que estão abrangidos pelo Acordo de Saída entre a União Europeia e o Reino Unido, tendo os seus direitos protegidos após o fim do período de transição”, refere o SEF, que explica como os britânciso poderão obter o documento.

“Após a submissão do formulário de registo no novo Portal, os nacionais do Reino Unido poderão descarregar um comprovativo desse pedido em formato digital – um documento comprovativo com um QR Code – o qual poderá ser impresso e utilizado sempre que viajar, como comprovativo da sua residência em Portugal”.

Posteriormente, a partir de 1 de janeiro, o SEF irá notificar os nacionais britânicos que registaram o pedido no Portal para agendarem uma deslocação a um posto de atendimento numa das 38 Câmaras Municipais selecionadas em todo o território nacional, para recolha de dados biométricos a constar no seu novo título de residência.

FOTO: SEF ©️
Os atuais documentos de residência da União Europeia continuarão a ser aceites depois do dia 31 de dezembro de 2020 e até que a nova autorização de residência seja emitida.

Questionado pelo jornal É@GORA sobre o número de britânicos que fizeram a troca de documentos de residência na primeira fase, o SEF adiantou que “no mês de novembro foram registados 2 407 novos residentes de nacionalidade britânica”, contra “398 no mesmo mês em 2019”.

De acordo com o SEF, a primeira fase da campanha conjunta, lançada a 19 de outubro, pretendia alertar todos os cidadãos britânicos que vivem em Portugal, ou que pretendem fazê-lo até ao final do ano, para a necessidade de se registarem como residentes, caso ainda não o tenham feito.

“No seguimento da campanha, no mês de novembro foram registados 2 407 novos residentes de nacionalidade britânica (398 no mesmo mês em 2019)”, disse a polícia migratória, assilando que “estando agora a aproximar-se o final do período de transição, torna-se necessário que os cidadãos britânicos residentes em Portugal solicitem a troca do atual documento de residência por um novo que atesta o seu estatuto de residente ao Abrigo do Acordo de Saída”.

O Embaixador do Reino Unido em Portugal, Chris Sainty, saudou esta iniciativa: “Estamos muito agradecidos às autoridades portuguesas que trabalharam para que Portal estivesse pronto antes do final do período de transição. Tenho a certeza que será muito bem recebido pela comunidade britânica em Portugal”.

Para Chris Sainty, “este é um passo muito importante que tranquilizará os britânicos aqui residentes sobre os seus direitos ao abrigo do Acordo de Saída”.

“Estou também muito contente que a Embaixada britânica e o SEF tenham trabalhado tão bem em conjunto. Esta colaboração é uma grande ajuda para garantir que os nacionais do Reino Unido em Portugal têm acesso à informação de que necessitam nestes últimos dias do período de transição”, disse o diplomata, citado numa nota enviada pelo SEF.

A propósito, o Diretor Nacional Interino do SEF, José Barão, considerou que “o trabalho do SEF neste Portal Brexit insere-se na estratégia de digitalização de serviços mais ampla que temos vindo a seguir”.

“Fomos um dos primeiros países da União Europeia a disponibilizar um portal que permite a troca de títulos ao abrigo do Acordo de Saída. O cumprimento dos compromissos do Estado Português é fundamental para o SEF, assim como a tranquilidade dos cidadãos da comunidade britânica e respetivas famílias que vivem em território nacional. Agradecemos a disponibilidade permanente e a intensa colaboração da Embaixada do Reino Unido num trabalho conjunto que resultou dessa cooperação”, disse José Barão, que destacou “a excelente colaboração” entre ambas instituições na prestação de um serviço público que considerou “de excelência”. (MM)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here