Moçambique lança programa para criar líderes femininas de nível global

0
221
FOTO: Getty Images

Manuel Matola

As estudantes moçambicanas, com idades entre 20 e 28 anos, récem-graduadas ou finalistas universitárias em qualquer parte do mundo, podem candidatar-se até 15 de outubro ao Programa CHANGE da Girl MOVE (GMA).

A iniciativa pretende ser uma “experiência intensa” de formação de um ano para ajudar as mulheres jovens universitárias a descobrirem o seu potencial de liderança e demonstrarem talento para mudar Moçambique e o mundo.

“Com este programa as jovens mulheres vão construir confiança, força e aptidão para fazerem acontecer as mudanças que querem ver no mundo”, resume Rita Megre, diretora Académica da GirlMOVE Academy, citada numa nota enviada ao jornal É@GORA.

A responsável pela instituição apontou o propósito deste programa de mentoria em cascata: É “para [as jovens mulheres] tornarem os seus objetivos reais e poderem libertar todo o seu potencial, desenhando uma carreira de impacto”.

Através da metodologia inovadora de mentoria e de sisterhood circles deste programa, laboratórios de inovação e experiência internacional, o CHANGE da Girl MOVE pretende ser uma “oportunidade única para jovens mulheres moçambicanas graduadas ou finalistas universitárias descobrirem o seu potencial feminino, como líderes e agentes de transformação do seu país”, refere a mesma nota enviada ao jornal É@GORA.

Os promotores desta iniciativa esperam receber 2000 candidaturas de jovens moçambicanas graduadas ou finalistas universitárias, com idades compreendidas entre 20 e 28 anos, “sobretudo para ampliar as possibilidades de seleção”.

De acordo com o comunicado, anualmente a GMA abre oportunidade a quase 30 jovens mulheres moçambicanas para que estas descubram a líder que “reside nelas” e “dá, igualmente, a oportunidade de perceberem por si que a mudança se faz de dentro para fora e que elas podem ser um exemplo para Moçambique e para o mundo”.

A mentoria em cascata “está assente nos desígnios da GMA que tem por missão ativar na mulher o poder de ser agente de mudança, através do investimento na habilitação e na descoberta individual de cada mulher que se torna parte integrante desta iniciativa”.

Atualmente, 1,2 milhões de pessoas, correspondente a 16 por cento dos população mundial, é composta por jovens entre os 15 e 24 anos, mas as projeções apontam para um crescimento que atinja 1,3 mil milhões até 2030.

Este aumento pressupõe a necessidade de se criar mais 475 milhões novos postos de empregos para os 73 milhões de jovens que estão atualmente desempregados, além dos 40 milhões que anualmente entram para o mercado de trabalho, diz a mesma nota.

Para o caso de Moçambique, assinala a GMA, em 2014, 46,1% da população moçambicana era composta por jovens, sendo 24,1% do sexo feminino.

“Estes números representam um desmesurado desafio, mas também uma grandíssima oportunidade para criarmos espaços e experiências onde uma carreira de impacto é a opção certa. É, na verdade, uma forma de combatermos os problemas sociais, económicos, políticos e ambientais que grassam o país e o mundo”, diz a organização.

A instituição assegura que a ideia da GirlMOVE Academy em investir na capacitação desta percentagem de jovens mulheres prende-se com o “facto de ser inegável o potencial de transformação que as jovens mulheres têm para o país”: Moçambique. (MM)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here