Morreu Joaquim Pereira de Almeida, um dos precursores do jornalismo angolano

0
322
FOTO: Magazine Imobiliário ©

Manuel Matola

O jornalista moçambicano Joaquim Pereira de Almeida, fundador da revista Magazine Imobiliário e um dos pioneiros do jornalismo angolano, morreu em Portugal, aos 63 anos, vítima de doença, foi hoje anunciado em Lisboa.

Numa nota com o título o “Último adeus ao homem histórico do imobiliário”, a publicação que Joaquim Pereira de Almeida ajudou a fundar descreveu o jornalista como “um dos mais emblemáticos homens da História do Imobiliário” em Portugal, onde morreu na terça-feira passada.

A embaixada de Angola em Lisboa também lamentou o desaparecimento do jornalista e imigrante que “deixou um legado construído com enorme profissionalismo” e “um lugar difícil de preencher”, especialmente nos orgãos para os quais trabalhou.

Nascido em Moçambique, Joaquim Pereira de Almeida foi para Angola ainda criança com a família, onde se tornou mais tarde quadro do Jornal de Angola, Rádio Nacional de Angola e da Televisão Pública de Angola, tendo desempenhado funções de responsabilidade pelas redações por onde passou.

Em declarações ao jornal É@GORA, o jornalista Aires Walter dos Santos descreveu o amigo Joaquim Pereira de Almeida como “um jornalista muito respeitado em Angola, devido à extrema seriedade com que exercia a profissão”.

“Joaquim Pereira de Almeida nasceu e passou parte da infância em Moçambique. Chegou a Angola, ainda adolescente, na companhia dos pais (portugueses de nascimento) e de 8 irmãos. Muito jovens, ele e duas irmãs, a Ticha e a Nucha, abraçaram o jornalismo – ele trabalhou no Jornal de Angola, Televisão Popular de Angola (com a Ticha) e Rádio Nacional de Angola (com a Nucha)”, contou Aires Walter dos Santos sobre Joaquim Pereira de Almeida, que em finais dos aos 80 ou início dos anos 90 decidiu se instalar em Portugal.

Aires Walter dos Santos contou que o fundador da revista Magazine Imobiliário era “casado com a também jornalista Laurinda Santos, uma das mais conceituadas profissionais da RNA nos anos 80 e que exerceu depois as funções de Adida de Imprensa nas embaixadas da República de Angola em Washington e em Pretória. Da relação de ambos nasceu, em 1982, em Luanda, Djaimilia Pereira de Almeida, a conceituada escritora e jornalista lusa-angolana radicada em Lisboa”. (MM)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here