O youtuber que orienta os imigrantes brasileiros em Portugal para sonhos no pós Covid-19

1
651
O imigrante brasileiro Stanley Campos é autor de Youtube "Canal Magia de Portugal" ©

Nilza Rodrigues

Stanley Campos. Brasileiro. Mentor da página Imigrantes em Portugal. A sua história, a sua opinião, o que aconselha e… o seu sonho pós Covid-19.

Stanley Campos poderia ser mais um imigrante brasileiro em Portugal. Mais um entre os 151 mil a viver no país. Mas não é. Acima de tudo é um sonhador com os pés bem assentes na terra. Um youtuber em potencial que, mal saiu o decreto que regulariza os imigrantes com documentação entregue no SEF, fez um vídeo e trocou por miúdos a terminologia jurídica, desfazendo as dúvidas dos seguidores do grupo ‘Imigrantes em Portugal’, do qual é administrador. A mesma prontidão com que falou connosco para contar que o grupo no Facebook nasceu após uma primeira iniciativa no Whatsapp.

“Sentimos necessidade de partilhar ajuda, notícias e informações para mais pessoas, pois sempre havia ‘o amigo de um amigo’ que tinha dúvidas sobre imigração e como estar legal em Portugal”, explica.

Para Stanley, o decreto de 27 de março foi recebido como uma boa nova.

“Na minha opinião foi uma demonstração de humanização, uma demonstração de que o governo português se preocupa com os imigrantes que aqui estão, independente da sua situação de legalidade “ e, para a comunidade brasileira, o mais relevante é “a oportunidade de ter acesso aos benefícios da segurança social, pois neste momento de pandemia, sabemos que muitos brasileiros ainda sem autorização de residência, estavam a ficar desesperados com a possibilidade de despedimento”, diz ao jornal É@GORA.

Mas ainda assim, não fica resolvida a situação de imigrantes ilegais, pelo que aponta vários caminhos.

“Uma das formas de ajudar é mostrar aos patrões que essa é uma situação passageira, outra é consciencializar os empregados que todo o mundo acaba perdendo numa situação como essa, os patrões não estão a ter o mesmo rendimento. Logo, na minha opinião, é melhor a redução do salário ao despedimento. Nesta altura a maioria das empresas não está a contratar, porém há muitas empresas a precisar de colaboradores (para) supermercados, farmácias, empresas de entregas, food delivery, entre outras… é uma questão de se reinventar no momento de crise”.

E a reinvenção pode passar pelo teletrabalho, até porque, “para quem trabalha diretamente com atividades que permite essa alternativa é, de facto, a melhor solução para manter a economia, manter a atividade ativa, mas sabemos que infelizmente essa não é a realidade da grande maioria doa imigrantes brasileiros”, acrescenta.

Apesar de tudo, uma das regras do grupo é não postar trabalhos nem vender passagens aéreas, o que até seria útil numa altura destas. Porquê? “Tivermos alguns problemas de pessoas desonestas que estavam a vender passagens aéreas que não existiam, enganando as pessoas, pois existem muitos que estão em processos de mudanças e quando se deparam com uma oportunidade de passagens mais baratas, acabam por cair em ciladas. Em relação ao trabalho, permitimos apenas quando tem um link de inscrição online, para evitar a exploração da mão de obra, o que acontece muito com imigrantes que estão em processo de legalização. Assim, proibindo estes posts, tentamos ao máximo desvincular a nossa página de pessoas fraudulentas”.

Para Stanley, todos os cuidados são poucos nesta fase mais sensível. Mas nem todos pensam assim no seu país de origem, o Brasil, que tem sido alvo de muita polémica pela postura do seu Presidente.

“Temos que dividir o governo brasileiro em dois grupos: o grupo do Ministério da Saúde, que está a seguir as diretrizes da Organização Mundial da Saúde, e o grupo do Presidente (Jair Bolsonaro) que está a pensar apenas na economia. O Presidente como líder maior da nação está a ser leviano, temos de seguir outros exemplos ao redor do mundo, sabemos o real perigo que essa doença pode causar. Tenho a esperança de que a população brasileira possa enxergar o perigo invisível que estão a viver…sabemos que a economia é muito importante para a sociedade, mas temos que tentar reinventar a economia de alguma forma para que possamos passar desta fase fortalecidos”, diz o youtuber brasileiro, autor do Canal Magia de Portugal.

Uma aventura para ficar

Faz em maio um ano que Sanley Campos e Juliana Santos aterraram no aeroporto Humberto Delgado com malas, dois filhos e um sonho. Stanley sempre foi um aventureiro. Não foi este o seu primeiro destino.

“Sempre fui uma pessoa muito ativa e atrevida. Aos 20 anos decidi mudar-me do Brasil para Londres, onde vivi por quatro anos, de 2001 a 2005. Regresso ao Brasil e termino a faculdade de Gestão de Empresas, trabalho em algumas grandes empresas até abrir a minha própria em 2011 no ramo de telecomunicações”, conta ao jornal É@GORA.

Mas sempre com vontade de progredir, faz nascer em 2017 uma outra empresa, desta vez no ramo das energias renováveis, mas ”a situação de um empresário no Brasil não é fácil… a carga tributária é gigantesca e em 2018 aumentou a instabilidade politica e a insegurança, tanto que a empresa de publicidade e propaganda da minha esposa não aguentou e acabou por fechar portas”, assinala o imigrante brasileiro Stanley Campos.

Foi nessa altura que Juliana “colocou na cabeça que tínhamos que sair do Brasil e dar um outro futuro aos nossos filhos”, recorda Stanley.

“Começámos a amadurecer a ideia e Portugal surgiu no nosso pensamento de uma forma muito concreta. Em 2018 decidimos que era isso que queríamos. Dei entrada no visto D7 através da minha empresa e dos meus rendimentos e assim que foi deferido em janeiro de 2019, começou a correria para a mudança, foi tudo muito rápido, e em maio já estávamos desembarcando para a nova vida em Portugal com a família completa de mala e cuia”.

Mas nem tudo foram rosas. Valeu a perseverança e o espírito positivo.

“A minha maior dificuldade foi conseguir um arrendamento, nas minhas pesquisas na internet via muita gente falar que era difícil, mas como bom brasileiro, não achava que ia ser tão difícil… Após dois meses a viver com a família num quarto, conseguimos arrendar um apartamento, diga-se de passagem exatamente como sonhávamos durante as nossas pesquisas na internet, amplo, arejado, bem decorado e bem localizado com um preço justo”.

O trabalho, esse, não foi problema. “Não tive muita dificuldade, posso dizer que escolhi onde queria trabalhar e hoje estou numa empresa fantástica, com valores humanizados, onde as pessoas são tratadas como pessoas e não números, que valoriza a família e o colaborador”.

Juliana está a cursar gestão e produção de pastelaria, já trabalhava com bolos artesanais no Brasil. E quanto aos dois filhos, Stanley relata:

“A integração do Felipe, 5 anos, foi muito tranquilo já parecia que já era membro da escolas desde sempre, já Júlia que tem 10 anos foi mais difícil, em relação ao aprendizado, pois muitas vezes não entendia a professora, mas como ela é muito comunicativa, em pouco tempo já estava 100% inserida no contexto comunitário escolar”.

Portanto, discriminação é uma palavra que ainda não sentiram. “Graças a Deus nunca fomos discriminados, acho que essa situação deriva muito da postura, como se impõe perante a sociedade, contudo, sabemos que infelizmente ainda existe pessoas ignorantes que agem de forma estúpida… Mas se isso acontecer, acho que a pessoa deve fazer valer os seus direitos e não baixar a cabeça, imigrante não é criminoso!! Pelo contrário é um corajoso que larga o seu país, a sua família, em busca do desconhecido, de um sonho”.

E Stanley correu atrás do seu. É abrir uma pastelaria no próximo ano e manter-se em Portugal. Em jeito de confidência remata: “cada dia me encanto mais com o país e a forma de tratar as pessoas, inclusive politicamente falando. Tomámos a decisão correta em mudarmo-nos para Portugal”. (NR)

1 COMENTÁRIO

  1. Parabéns stanley , sou blogueira, imigrante e o teu percurso me tocou e me motivou a nao desistir de portugal, estou cá ha pouco tempo e estava a ficar desmotivada, mais depois das tuas palavras, me levantaram obrigado , Deus te abençoe

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here