Os 4 prémios do Chef Tanka Sapkota, o imigrante nepalês das pizzas aos carenciados

0
177
Chef Tanka Sapkota. Foto retirada do Facebook

Manuel Matola

O nepalês Tanka Sapkota é dos mais notáveis imigrantes residentes na capital portuguesa, onde ao longo de um mês andou pelas ruas de 24 freguesias da Grande Lisboa a distribuir pizzas quentes a mais de 2.500 famílias carenciadas apanhadas desprevenidas pela pandemia de Covid-19.

Esta semana, a sua pizzaria, o Forno d” Oro foi classificada como a melhor de Portugal e considerada a 22ª melhor pizzaria da Europa, num dos mais importantes concurso de pizzas do mundo, que se baseia em pontuações atribuídas por inspetores anónimos que operam em todo o mundo.

A avaliação assenta no “conceito de excelência no sentido lato, valorizando quem faz uso de produtos locais e sazonais”, escreve o DN na edição desta quarta-feira.

Na primeira vaga da pandemia, o chef Tanka Sapkota – proprietário de quatro restaurantes em Lisboa (o Come Prima, o Forno d’ Oro, o Il Mercato e a Casa Nepalesa) – alcançou um record ao contabilizar 10.500 refeições quentes e pizzas napolitanas ofertadas a quem mais necessitava, especialmente “pessoas em situação de sem-abrigo”.

Em reação, a Câmara Municipal de Lisboa considerou que esse ato filantrópico num momento difícil que o mundo atravessa “demonstra como Lisboa conta com pessoas generosas e que prezam a sua cidade e as suas gentes”, especialmente quando “esta atitude e, sobretudo, este exemplo” vêm de “um empreendedor de sucesso” da comunidade lisboeta e “uma referência mundial no mundo das pizzas”.

Os restaurantes do chef Tanka Sapkota já haviam sido distinguidos como um dos 20 melhores do mundo.

No passado dia 16 de junho, o forno móvel do chef Nepalês percorreu as 24 freguesias da capital. Todos os dias, recomeçava essa árdua tarefa de montar tudo e fazer centenas de pizzas para serem distribuídas a quem mais precisa. E no dia 16 de julho, um mês depois do arranque desta iniciativa que contou com a colaboração da Câmara Municipal de Lisboa, o projeto culminou com a distribuição de pizzas a pessoas em situação de sem-abrigo.

Sob o lema “Não podemos mudar o mundo, mas podemos ajudar a melhorá-lo”, Tanka Sapkota e a sua equipa desenvolveram a ação solidária juntamente com cerca de 500 pessoas de ONG, IPSS, Associações de moradores e voluntários.

Na altura, o vereador responsável pela Proteção Civil da Câmara Municipal, Carlos Castro, descreveu a ação solidária liderada pelo chef Tanka Sapkota como tendo sido um sucesso.

“Correu muitíssimo bem esta iniciativa – tanto pela mobilização de muitos agentes locais: Juntas de Freguesia, associações de moradores e clubes da cidade, como pela forma das pessoas manifestarem o seu agrado por esta oferta do Chef Tanka”, referiu Carlos Castro.

Em nota divulgada na ocasião, o dirigente acrescentou: “A situação pandémica que vivemos, além da dimensão da saúde, está a provocar uma crise económica e social com impacto profundo em muitas famílias. Este projeto de apoio alimentar do Chef Tanka é uma ajuda muito importante, que alcança mais de 2.500 famílias da cidade de Lisboa”.

“Esta atitude e, sobretudo, este exemplo de um empreendedor de sucesso da nossa comunidade, e uma referência mundial no mundo das pizzas, demonstra como Lisboa conta com pessoas generosas e que prezam a sua cidade e as suas gentes”, considerou o vereador Carlos Castro.

No concurso internacional, a pizzaria lisboeta, especializada em Pizza Napolitana, recebeu no total quatro distinções: “Melhor Pizzaria de Portugal”; “22ª Melhor Pizzaria entre as 50 Melhores da Europa”; pizzaria com “Melhor Lista de Cervejas” e integrou ainda o “Top Ten da Pizza Napolitana fora de Itália”, sendo considerada a melhor pizza napolitana na Península Ibérica, refere o DN.

Reagindo o imigrante disse: “Estamos muito felizes por recebermos não um, mas quatro prémios deste concurso tão prestigiado a nível mundial”, sobretudo, “num ano tão complicado como este (daí que) o nosso foco se mantém o mesmo: tratar o cliente com o máximo respeito e carinho”.

Durante os 30 dias em que o forno móvel, um objeto raro e dispendioso, viajou diariamente pelas 24 freguesias de Lisboa, chegando a mais de 2.500 famílias, todos os dias a partir das 16h, a equipa do chef e o próprio Tanka Sapkota faziam centenas de pizzas, que eram transportadas quentes e distribuídas nas casas das pessoas à hora de jantar, noite dentro.

“Estou muito feliz com os resultados desta ação de beneficência que levámos a cabo em junho e julho na cidade de Lisboa”, afirma o chef Tanka Sapkota. “Acredito que é nas alturas difíceis que temos a obrigação de dar à sociedade. Como tal, sinto que cumpri o meu dever”, disse na ocasião. (MM)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here