Perdoar ou Ser Perdoado

0
167

Adelaide Miranda
(Life Coach de Alta Performance)
Carregas contigo no pensamento aquela situação, aquela pessoa, que “juras” a pés juntos que nunca na vida irás perdoar? Deixas-te mover pelo rancor por situações que já passaram, mas que fazes questão de as trazer de volta para relembrar e, quem sabe, atirar à cara? Sentes que tens o poder na mão de perdoar ou não?

Tenho falado muito contigo sobre as consequências das emoções retraídas, de aprendermos a deixar o passado no passado. O perdão é exatamente a mesma coisa e tem as mesmas consequências. Quando tu revives a mesma história e carregas essa mágoa em ti, essa mágoa transforma-se em doenças. Stress, ansiedade, depressão… A sério… Perdoar pode ser a salvação para a tua cura.

O perdão cura! Sim, o perdão cura. Existem vários estudos relativamente a este assunto, e a realidade é que perdoar cura. Perdoar permite a libertação dos pesos que carregas no ombro, como se tivesses o mundo às tuas costas tornando cada passo mais pesado e doloroso.

A grande verdade é que quando pensas nessas situações, insistes que elas não te largam da mão. Insistes que são aquelas que te prendem e te levam para o fundo. Mas, pensa comigo: qual foi o teu papel nessa situação? Lembra-te que és responsável pelas tuas ações, não és responsável pelo que te acontece, mas sim pela forma como reages a isso. Estiveste num relacionamento tóxico durante anos? O que estiveste lá a fazer? Poderias ter saído antes, certo? Não vamos entrar em detalhes apenas quero trazer consciência de que pelo menos podemos fazer uma coisa quando a situação não nos agrada: fugir dela.

Voltando ao nosso tema, a realidade é que não são as situações que não te largam da mão. És tu que insistes em mantê-las bem pertinho, para poderes satisfazer a tua necessidade de conexão: pertencer ao grupo das vítimas e dos coitadinhos e das coitadinhas… Sabe tão bem, no momento, ter algo sobre o que reclamar, não é? Pois é: mas, decisões fáceis levam a vidas difíceis. Sacrificar o prazer do momento para obter o prazer a longo prazo.

Resumindo: É importante, essencial e obrigatório deixares ir. Tens de ser tu a perdoar. Tens de ser tu a largar da mão. Uma das coisas que li no livro “Conversas com Deus”, de Neale Donald Walsch, e que mais me marcou foi: o abusador também é abusado quando lhe permitem que perpetue o abuso.

Sai desse ciclo vicioso e entende que só teu beneficias em deixar ir. Tu és a pessoa que ganha com isso. Tu ganhas leveza, paz de espírito… Curas-te de doenças ou dores que não consegues explicar! Está na hora de perdoares. Vou trazer-te uma técnica muita simples, e em formato abreviado, para que possas abrir mão disso que tanto insistes em carregar:

Ho’PonoPono – Trabalho do Perdão
1.Pensa na pessoa que queres perdoar;
2.Diz em voz alta: Eu sinto muito. Perdoa-me. Eu amo-te. Obrigada.
3.Repete pelo menos 3 vezes
4.Agradece e deixa ir

Faz este exercício todos os dias, por 21 dias seguidos e verás resultados surpreendentes na tua vida. Repete as vezes necessárias até sentires que quando tocas nesse assunto ou quando vês essa pessoa já não te incomoda tanto, ou nem te faz diferença.

Abre mão e deixa ir. E, depois já sabes: muito álcool gel. Continuamos em fase de desconfinamento por isso não te esqueças que ainda temos regras a cumprir: máscaras, distâncias de segurança e lavagem frequentes das mãos. (X)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here