Presidente do Município da Praia dialoga com diáspora cabo-verdiana “fortemente” atingida pela Covid-19

0
72
Francisco Carvalho, presidente da Câmara Municipal da Praia Cabo Verde

Manuel Matola

O presidente da Câmara Municipal da Praia, Cabo Verde, Francisco Carvalho, iniciou no fim de semana um périplo por Portugal, Luxemburgo e Holanda, onde irá manter, até a próxima quinta-feira, encontros com a diáspora cabo-verdiana, bem como estabelecer contactos com as entidades e instituições nacionais dos três países europeus.

Esta é a primeira visita oficial que Francisco Carvalho efetua à Europa na qualidade de presidente da Câmara Municipal da capital cabo-verdiana, após vencer as eleições autárquicas do passado dia 25 de outubro de 2020 pelo Partido Africano para a Independência de Cabo Verde (PAICV), pelo que a mesma servirá para medir o pulsar da situação da comunidade cabo-verdiana que foi “fortemente” atingida “em todas latitudes” pela Covid-19, havendo imigrantes cabo-verdianos “a viver em condições de precariedade” no exterior.

Após a eclosão da primeira vaga da doença causado pelo coronavírus, o deputado do PAICV pelo Círculo Eleitoral da Europa e Resto do Mundo, Francisco Pereira, defendeu a criação de “um Fundo de Emergência direcionado à diáspora” cabo-verdiana que estava a ser “fortemente” atingida “em todas latitudes” pela Covid-19, em países como “Portugal, França, Holanda” e “Estados Unidos, particularmente, na cidade de Brockton”.

Na altura, Francisco Pereira, que é igualmente Secretário Adjunto para Relações Externas e Diáspora, exortou o executivo cabo-verdiano a “encarar a diáspora como elemento dorsal e estratégico na formulação de políticas publicas híbridas e globais” para fazer face à crise pandémica.

Numa carta, a que o jornal É@GORA teve acesso, o representante da diáspora na Assembleia Nacional avisou:
“É preciso não esquecer que, hoje, temos cabo-verdianos na emigração que estão a passar por dificuldades. Temos muitos estudantes não bolseiros, que estão confinados em casa, sem ou com escassos recursos de sobrevivência. Temos muitos cabo-verdianos que estão em situação irregular…logo privados de alguns direitos. Temos cabo-verdianos desempregados a viver em condições de precariedade”, disse.

FOTO: LUSA ©
A visita oficial do presidente da Cidade da Praia iniciou no domingo e estende-se até ao dia 03 de junho.

Em Lisboa o autarca cabo-verdiano manteve encontros com Vítor Ramalho, Secretário-Geral da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA), onde debateram parcerias pelo desenvolvimento das cidades do espaço lusófono, uma discussão iniciada no quadro do seu primeiro mandado à frente dos destinos da Câmara Municipal da Praia.

Igualmente reuniu-se, em separado, com os presidentes da Câmara da Amadora, Carla Tavares, da Câmara Municipal de Oeira, Isaltino Morais, e o da Câmara Municipal de Sintra Basílio Horta, bem como foi recebido em audiência pelo embaixador de Cabo Verde em Portugal, Eurico Monteiro, e pelo deputado à Assembleia da República Portuguesa, Paulo Pisco.

Mas é em Luxemburgo, onde participará em atividades nesta terça-feira, e quando for recebido por elementos da comunidade cabo-verdiana na Holanda, no dia seguinte, que o presidente da Câmara Municipal da Praia irá testemunhar os vários desafios enfrentandos pelos imigrantes residentes nas capitais destes países europeus.

Um comunicado daquela autarquia enviado ao jornal É@GORA indica que na visita ao Luxemburgo a convite da Câmara de Comércio de Negócio Luxemburgo-Cabo Verde, Francisco Carvalho “participará em atividades no dia 2, e no dia 3 estará na Holanda onde será recebido por elementos da comunidade cabo-verdiana residente e prosseguirá os contactos com as entidades e instituições nacionais”. (MM)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here