Respeita-te!

0
347

Adelaide Miranda
(Escritora, Engenheira, Empreendedora)
Esta semana percebi que o ser humano não tem qualquer tipo de consideração por si mesmo. Não nos respeitamos… Contudo, como nos respeitar quando nem sequer sabemos o que valorizamos? Se eu perguntar quais são os teus valores consegues responder? Quais as leis inquebráveis com que vives a tua vida? Respeita-te. Não sejas menos do que és.

Os níveis de falta de respeito estão ao rubro. Porquê? Porque temos a tendência de não assumir a responsabilidade pelos nossos atos. Dizemos que a culpa é do “fulano”. O “fulano” ou a “fulana” é que nos faltaram ao respeito… E, onde fica a parte em que tu permitiste que isso acontecesse? Onde fica a parte em que definiste o que permites e o que não permites? Como podes exigir respeito, se não tens a noção dos teus limites, e do que consideras aceitável?

É importante, essencial e obrigatório que aprendas a respeitar-te. Para que tal aconteça, é importante, essencial e obrigatório que te conheças a ti mesmo. A semana passada falamos em nos humanizarmos e entendermos que cada um tem o seu próprio entendimento do mundo. O que eu te pergunto, a ti, sim, diretamente a ti, é simplesmente: qual é o teu entendimento de ti mesmo? O que exiges de ti mesmo? O que aceitas e o que não aceitas? O que valorizas e o que não valorizas? As questões são pertinentes e causam desconforto. Causam desconforto porque não estamos preparados para aceitar que temos vivido a nossa vida contra os nossos próprios valores e princípios.

Hoje, vamos entrar no desconforto para mudar o desconforto que sentimos quando analisamos a nossa vida. Só entrando no desconforto podemos fazer as mudanças que precisamos.

3 Dicas

Vou começar com 3 dicas para que possas respeitar esse ser lindo e único que tu és.

Dica 1 – Descobre os teus valores
Cria uma lista dos teus valores pessoais. Tenta, pelo menos, identificar 10 valores que consideras importantes. Como? Faz uma viagem a momentos marcantes da tua vida. O que estavas a fazer? Como te sentias? Quais os valores que honravas nesse momento? O que é que era mais importante para ti no momento?

Dica 2 – Descobre o que não toleras
Outra forma de encontrarmos os nossos valores pessoais é identificando coisas que não toleramos. Tenta lembrar-te de uma situação na qual não conseguiste ficar indiferente? Uma situação em que tiveste que “dizer a tua própria justiça”. O que se estava a passar? O que mais te afetou? Como te estavas a sentir no momento? O que era realmente mais importante para ti? Ao saberes o que não toleras descobres os valores que são inquebráveis.

Dica 3 – Presta atenção às tuas emoções
O ser humano tem uma bússola interna. Somos as únicas máquinas em que o manual de instruções vem incorporado dentro da própria máquina. Analisa as situações em que o teu estado de espírito é alterado. Presta atenção ao que diz a tua fisiologia. Mantém um diário e analisa todas as tuas alterações de humor. O que aconteceu? O que te incomodou?
Identificaste os teus valores e agora? Agora tens de analisar a tua vida e perceber quais as situações que não estão de acordo com os teus valores. Depois de identificares estas situações há que reajustá-las de forma a que estejam de encontro com as tuas leis da vida. Se vai ser fácil? Não disse que seria, mas se não consegues fazer o esforço de agir de acordo com os teus valores e respeitares-te, terás coragem de pedir que outros o façam?

Nunca terminamos sem mencionarmos a situação atual. Respeita a tua saúde, cumprindo com as regras de prevenção da Covid-19. Já te esqueceste? Aqui vão: mantém as distâncias de segurança, usa máscara em locais fechados, lava as mãos com frequência. Simples, assim… (X)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here