SEF: PR Ucraniano quer “investigação completa e imparcial” à morte de Ihor

0
192
Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky

Manuel Matola

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, disse ao seu homólogo português, Marcelo Rebelo de Sousa, estar confiante de uma “investigação completa e imparcial” às circunstância da morte do cidadão ucraniano Ihor Homenyuk, no passado dia 12 de março passado, num caso que envolve suspeitas de tortura e homicídio por inspetores do SEF.

“Estamos confiantes de que a parte portuguesa irá garantir uma investigação completa e imparcial sobre as circunstâncias da morte do cidadão ucraniano Ihor Homeniuk”, disse Zelenskyy durante uma conversa com o Marcelo Rebelo de Sousa, segundo um comunicado divulgado pela Presidência da República portuguesa.

A nota indica que o pedido surgiu durante a conversa telefónica de uma hora entre os dois chefes de Estado, na qual o Presidente ucraniano e Marcelo Rebelo de Sousa “debruçaram-se sobre o caso” de Ihor Homeniuk e a situação da Covid-19. No fim ficou a promessa de realização de visitas recíproca a ambos países: Ucrânia e Portugal.

A mesma nota dá conta de o Chefe de Estado ucraniano “agradeceu à parte portuguesa pela justa compensação” e “preocupação perante” a família do cidadão ucraniano que foi morto por inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) nas instalaçõe da polícia migratória no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.

Marcelo Rebelo de Sousa elogiou a contribuição da comunidade ucraniana para o desenvolvimento social e económico de Portugal.

O Estado português vai pagar uma indemnização de 800 mil euros à família do cidadão ucraniano que morreu na sequência de violentas agressões por três inspetores do SEF, que estão acusados de homicídio qualificado, com a alegada cumplicidade ou encobrimento de outros 12 inspetores.

O julgamento deste caso vai começar na próxima quinta-feira, dia 20 de janeiro.

Nove meses depois do alegado homicídio, a então diretora do SEF, Cristina Gatões, demitiu-se, mas vários partidos continuam a exigir a saída do Administração Interna, Eduardo Cabrita, que, entretanto, continua em funções.(MM)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here