Sei onde estou, sei onde quero chegar, mas não sei como lá chegar: E@GORA?

0
364

Adelaide Miranda
(Escritora, Engenheira, Empreendedora)
A vida é uma estrada cheia de curvas, contracurvas, cruzamentos e entroncamentos. Por mais que saibamos onde estamos e onde queremos chegar, temos de definir o caminho que nos irá levar ao final da nossa jornada.

Mas, antes de conseguirmos definir esse caminho existe um primeiro passo importante, essencial e obrigatório: conhecermo-nos a nós mesmos. De que forma é que o autoconhecimento vai ajudar-nos a definir o caminho? O autoconhecimento permite-nos conhecer o nosso perfil comportamental. Permite-nos entender porque fazemos o que fazemos. Ao fazermos esta autodescoberta vamos saber como nos vamos comportar quando encontrarmos obstáculos no nosso caminho. Qual vai ser a nossa resposta ao encontrarmos uma pedra, ao depararmo-nos com um lago, ao subirmos uma montanha? Ao conhecermos as nossas respostas, sabemos que rota devemos seguir: terrestre, montanhosa, aquática…

Após sabermos o tipo de rota que queremos tomar, temos de ter uma noção associada dos custos da “viagem”.

O planeamento financeiro, é o nosso maior aliado em todas as situações da nossa vida. As finanças andam lado a lado com todos os nossos objetivos de vida: sejam eles pessoais ou profissionais.

O dinheiro, tutu, cumbu, bufunfa vai definir se a nossa viagem será em modo económico, business, ou primeira classe. O Guia Prático da Educação Financeira apresenta dicas sobre como manejarmos as nossas finanças e a colocarmos o dinheiro a “trabalhar” para nós.

Após a seleção da rota, da definição do custo da mesma, temos de encontrar uma forma de nos mantermos “em rota”. O mais complicado em todo o caminho traçado, e nas viagens percorridas é a capacidade de mantermos o foco e não nos desviarmos. O foco depende maioritariamente do nosso “mindset”. É muito mais fácil mantermos o foco em algo que nos apaixona. No Guia Prático da Proatividade falo da importância de descobrirmos o nosso propósito e traçarmos objetivos de acordo com o nosso talento e as nossas paixões e tendências.

Por último, temos de criar hábitos que nos permitam chegar ao sucesso: conclusão do nosso objetivo. Criar parcerias, ter autodisciplina, ter iniciativa própria, ter entusiasmo, aprender com as derrotas, são algumas das dicas enumeradas no Guia Prático do Sucesso. A fórmula é simples, mas requer uma rotina diária, dedicação, esforço… Para tudo existem leis e regras, há apenas que as descobrir e cumprir ou colocar em prática.

A vida é simples, nós é que temos a mania de a complicar. Ao seguirmos um plano bem traçado, ao termos uma noção dos custos associados e ao cumprirmos as regras, reunimos todas as condições necessárias para cumprirmos com os nossos objetivos. Para quem não tem um destino definido e uma forma de lá chegar, qualquer caminho serve.

Na sociedade atual, existem profissionais que são as bússolas que precisamos para manter a viagem “em rota”. Os “life coach”, estão certificados para ajudar-nos a chegar onde queremos chegar. Procurar este tipo de apoio é uma mais valia e uma forma de nos focarmos no que temos de nos focar sem sofrermos distrações externas. Sou apologista de que devemos sempre procurar apoio, a jornada torna-se sempre mais fácil quando temos companhia. E, esta companhia for especializada, melhor.

Termino esta reflexão, como é hábito, solicitando o vosso apoio no cumprimento das regras de distanciamento social: máscaras e distâncias de segurança… Neste momento esta é a única forma que temos de salvar vidas, começando pelas nossas, pelas dos nossos e culimando na dos outros. (X)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here